Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mergulhos nos Livros do Pedro

Mergulhos nos Livros do Pedro

NOTE.... o Dia Mundial da Poesia| Escrita criativa

Pedro, 07.04.21

O estado de escrita ou de leitura, consagra a poesia real

Do que melhor se escreve, a nível mundial

Prosa em rima, do tipo cruzada

A favorita a seguir, é a emparelhada.

 

Mas não vamos esquecer o que é especial

Que poesia cruzada ou emparelhada, enquadrada é real

Dou asas à imaginação, com uma prosa pragmática

Obedeço a todos as regras, inclusive às de gramática

O toque de escrita, ganha uma vida natural

No ceio do conhecimento, “do leitor cultural.”

 

Mas o gosto e sensação pela poesia, é que me fazem sonhar

Um conjunto de autores e de rimas, que irei recordar

Obrigado à @note por serem minha livraria, o meu lar

Por com este “Giveaway Dia Mundial da Poesia”, potenciar o meu bem-estar!

note.PNG

Créditos : Note

DIA DO PAI COM...ROSA PÉREZ |ESCRITA CRIATIVA

Pedro, 06.04.21

ROSA PÉREZ | PASSATEMPO

Este dia do Pai, espero que seja bem recheado
Um dia feliz sem igual à mesa, com um belo manjar confecionado
Um belo manjar, na melhor companhia
Preparamos para ti, nesta tua data querida.

Neste dia bem recheado, passamos da teoria para a prática
Destas diferentes refeições, com diferente temática
Recheadas de queijo estão elas, pois sabemos que és fã
Por isso não nos esquecemos do teu preferido, “Old Amesterdam”
Salgado por fora, com bom aspecto por dentro
Ralamos o Pecorino Romano, nesta bela massa ainda a “ferver por dentro."

Mas não vamos esquecer o que é complementar
A salada tem fatias de queijo burrata, temperada de acordo com "a lei natural"
Viajar pela gastronomia, para desafiar o tato e o paladar
Obrigado à Loja Rosa Pérez, por esta diversidade alimentar.

Rosa Perez Online.jpg

Créditos : Rosa Pérez

É cerveja... é Três Quinas | Escrita Criativa

Pedro, 05.04.21

Os Portugueses são gente simples
E os identificados em baixo, gente especial
Bebemos @cervejaquinas , em respeito por Portugal.

Lutar, conquistar, faz parte da vossa história
Ter em vós o ADN, as coroas e quinas em memória.

Com Três anos que já têm, nós continuamos a querer-vos ao nosso lado
Parabéns à vossa bebida de oiro, que nos tem iluminado.

Por isso, a história faz-se, por quem luta, sem deixar de lutar
Nas veias corre no nosso sangue, esta vossa cevada que nos veios saudar.

Bebida em garrafa, submetida à pressão
Cor de Oiro ela tem, qualquer um de nós, será dela "Beirão”
Com cevada, frutada, sabor divino e sem igual
Vocês e estes três amigos, fazem parte do ritual.

Quinas.pngImagem: Instagram Três Quinas

Dia Mundial da Árvore... |Escrita Criativa

Pedro, 05.04.21

Porque a Oliveira da Árvore, é a Árvore do Olival

Rica e formosa, carregada como “um enxoval”

Abanam-se as oliveiras, caem as “azeitonas seleção”

O destino é como Oliveira, já está traçado de antemão.

 

Mas as belas das nossas árvores, influenciam o nosso bem-estar

Dão-nos belos frutos à mesa, e este belo azeite a demolhar

Um contributo estratégico ao planeta, à nossa vida e economia

No dia mundial da árvore, respiro grato de alegria!!!!

Oliveira da Serra.PNG

Imagem : Oliveira da Serra

Ali Smith, Inverno (2º livro do Quarteto) | Leitura Actual

Women's Prize for Fiction

Pedro, 04.04.21

«Deus estava morto: para começar. A cortesia estava morta. A poesia, a prosa, a pintura, todas elas estavam mortas, e a arte estava morta. A literatura estava morta. O amor estava morto. A morte estava morta. Muitas coisas estavam mortas. Imagine que é assombrado pelos fantasmas de todas estas coisas mortas.»

Ali Smith Inverno.jpg

 

Sobre o dia do Pai... com Campofrio |Escrita Criativa

Pedro, 03.04.21

Nascido no Campo, mas a tua vida foi na cidade

Pai lembro-me das tuas histórias, do tempo da mocidade

Ainda eras tu pequeno e uma vida melhor procuras-te ter

Nesta cidade que é Lisboa, vieste tu viver.

 

Vieste tu viver, com o prazer de anunciar

Conheces-te uma mulher, com que vieste a casar

Um filho no entretanto, no final já eram dois

Uma história de família, que fica para depois.

 

Mas não vamos esquecer, o foco essencial

Que o teu esforço e dedicação, contam como diferencial

Fizeste a tua vida, sem nada nos faltar

Garantiste a comida na mesa, desde que acordo até deitar.

 

Somo assim as tuas horas extra, sem nada a faltar

Não consigo pagar o dobro, mas sei valorizar.

 

Não consigo pagar o dobro, mas sei valorizar

Um conjunto de atitudes tuas, que vou agora anunciar:

Participação ativa, na idade dos porquês

Mas também estiveste presente, na era dos TPC’s

Estavas presente, quando arranjei o primeiro trabalho

Sempre disseste para ter o olho nos “ases do baralho.”

 

Um conselho que me deste, partilho de antemão

Sei que é dado, de alma e coração

“Foca-te no queres, sem olhar para trás

Confia em ti, sabes que és capaz”

 

Esta agora na hora, de te retribuir “o favor”

Permitiste-me gozar a vida, sem “altos e baixos de um elevador”

Mas para que eu goze a minha, tu também terás que gozar

Com Campofrio goza o prato, não há como enganar.

Campofrio.PNG

Imagem : Campofrio

Fula com Poesia Criativa

Pedro, 31.03.21

Recrio poesia, em síntese bastante discreta
O “folhear” da minha comida, deste cozinheiro poeta
Recrio os meus sonhos, não lhes digo que não
Como com a poesia, tudo tem (inter)ligação
Calibro o meu tempo, para uma bela refeição prática
O cálculo de proporções, na ordem matemática
Mas sem esquecer, a fritura ideal
Que poesia com fritura, não é ficção, mas é real
Nos belos dos meus cozinhados, óleo Fula vou usar
O tempo de fritura, não tem como enganar.

Screenshot_20210331-165939_Facebook.jpg

Imagem: facebook fula

 

Afonso Cruz, Vamos Comprar um Poeta | Opinião

Pedro, 28.03.21

"Dizem que é um bem transacionarmos afetos, liga as pessoas e gera uma espécie de lucro, que, não sendo um lucro de qualidade, já que não é material e não é redutível a números ou dedutível nos impostos ou gerados de renda..."

Uma história sobre uma família, sobre a importância da poesia, da escrita e da leitura.

Uma história que foca que a vida não são apenas números que as pessoas não são bens transacionáveis. Que enquanto seres humanos que somos, pesamos, tomamos decisões, decisões baseadas em fatos, em pesquisa em leitura e raciocínio sobre essa leitura de forma a tomar a decisão.

Este livro é uma crítica um pouco de tudo e ao mesmo tempo a tudo um pouco.

Uma crítica também severa, da realidade de como os escritores ainda são vistos e tratados em geral, de como a leitura e como o respetivo índice literário, contínua muito aquém da realidade global.

"No dia da escolha, fomos a uma loja, eu e o pai (...)

Na loja havia poetas de muitos tipos, baixos, altos, louros, com óculos (são mais caros) (...)

"O pai apontou para a poeta que fungava e não tinha patrocínio nas roupas e perguntou se aquele exemplar era subversivo(...)

"Está abaixo dos dois por cento. É sempre necessário serem um pouco subversivos ou a qualidade poética baixa demasiado e não gera lucro, ninguém compra, acabamos preteridos a bailarinos ou hamsters."

Atento nestas últimas citações como uma crítica de forma.

A verdade é que para se ter sucesso é necessário publicitar o livro, dar a conhecer a obra, dinamizar a nível de Marketing todo o trabalho, caso contrário corremos o risco do investimento feito não te retorno.

Muitos as vezes acaba por se escrever o que o leitor quer ler e não o que o escritor está a "sentir" ou quer verdadeiramente quer transmitir. No fundo, os escritores nunca são livres.

Existe uma espécie de comparação entre animais de estimação e hamsters.

Uma excelente história curta, mas que para quem gosta de Afonso Cruz, é de leitura obrigatória.

Pela capacidade de escrita e concretização de ideias, dou a este livro 4 estrelas.

 

Em suma:

Era uma vez um miúdo que queria "Comprar um poeta"

Que tinha pensamentos, que giravam como uma roda de bicicleta

Os pais propuseram um pintor, mas ele disse que não

Preferiu escolher um poeta, com imaginação.

 

Mas para escolher um poeta, deu que pensar

Que a sátira do pormenor teve que assentar

É Alto, baixo, magro ou vale por dois?

O somatório dos pormenores, fica para depois.

 

Mas o que há a reter, desta história fundamental?

Que a poesia, a cultura são um bem essencial

Uma critica profunda, sem um possível "talvez"

A imagem desta realidade, onde se questiona os porquês.

20210327_182550 (2).jpg

Super Bock 94 anos | Escrita criativa_Passatempo

Pedro, 16.03.21

Foi numa conversa de amigos há 3 anos, que acabei por conhecer

O relógio bateu as 23H e fiz as honras de no local aparecer

Boa disposição e alegria, nisso não existiu questão

Apenas se tornou completa, com uma superbock em cada mão.

 

O diálogo, gerou conversa e a conversa gerou piada

E assim descobrimos como todos nós “imperializamos”, beber uma superbock gelada

Fresquinha, gelada ou comprada em boa hora

Compro umas quantas de litros, em 5 minutos vamos embora.

 

Mas não vamos esquecer o que é especial

Seja de litro, ou servida em balde, no bar habitual

As dimensões são um pormenor, que muitos põem em perspetiva

Mas autenticidade está no “sabor autêntico” e faço aqui a nossa retrospetiva.

 

Aqui faço a retrospetiva, do que considero essencial

As nossa conversas e risadas com superbock, têm desde cedo potencial

Inspiradoras, profundas, cheias de filosofia

Ouvir a calcular os nossos dotes com Superbock, é como ter nota máxima a Geometria.

 

A Geometria de uma destas caixas calculávamos, para 94 cervejas ganhar

Agendamos uma “divisão ao centro”, desta caixa retangular

Superbock estará nas nossa vidas, pois faz parte da nossa estrutura

Podemos estar em confinamento, mas o espírito de partilha ainda perdura!!!!

 

Parabéns @superbock pelos 94 anos!

Super Bock dá de beber 94 cervejas

Fonte: Brieifing 94 anos

https://www.briefing.pt/marketing/49585-super-bock-d%C3%A1-de-beber-94-cervejas.html

 

Indecisão Criativa: Salmão Grelhado ou Costeleta de Novilho?

Pedro, 10.01.21

Filetes de Salmão, aquela tentação

Costeleta de Novilho, em belo estado de conservação

Olho para ambos, não consigo escolher

Atiro à sorte? Já se está mesmo a ver!

 

Já se está mesmo ver, o que vai calhar

O jogo dos benefícios, vou ter que jogar

Grelhar o Novilho, vou ter que o fazer

Com arroz, salada e pimentos, vai ter que ser.

 

Vai ter que ser, ou devo trocar?

Pelas Filetes de salmão, que devo grelhar

Com delícias do mar, azeitonas e tagliatelle al dente

Rico em ómega 3 e bom para a minha mente.

 

Mas a minha mente, dá que falar

A escolha vai ser feita, pelo meu paladar

O salmão é arrosado, benéfico para o bem-estar

Mas a Costeleta é charmosa e consegui-me encantar.

 

A visão é também, um importante factor de decisão

Só assim os olhos comem, e o paladar entra em ação

Por isso, assim para poder facilitar

A tecnologia instaview, a LG acabou de inventar.

 

As indecisões, não são mais problema

Dois toques no “ecrã”, e acabou-se o dilema.

 

 

 

Afonso Cruz, Os Livros que Devoraram O Meu Pai (PNL 7º ano) | Opinião

Pedro, 07.01.21

Vivaldo Bonfim, pai de Elias, trabalha no 7º bairro fiscal, ao que parece na área de fiscalidade (uma vez que na sua caracterização foca-se nas declarações de IRS).

Até que um dia, não aguenta mais o seu trabalho entediante e perde-se completamente num livro que está a ler " A ilha de Dr. º Moreau ". Desaparece e perde-se nesta ilha e nunca mais volta ao seu trabalho, permanecendo na local de trabalho, apenas o respetivo impresso de IRS.

No entanto, antes de o fazer, Vivaldo entrega a sua mãe, uma chave.

A chave da Biblioteca de Vivaldo, no qual deixa à merce da sua mãe, a entrega a Elias, quando sentir que este está pronto.

E aqui começa uma história magnífica, sobre alguém que começa a ler um conjunto de histórias, sobre alguém que procura perceber cada uma das histórias e questionar as várias direções, mas essencialmente, de alguém que sobretudo tenta perceber a sua própria história, para encontrar o seu pai!

Um livro importante, sobre o que nos rodeia, as histórias dos outros que são construídas com verdadeiras histórias!

Este livro, faz parte do Plano Nacional Leitura para o 7º ano (PNL)

Como sempre Afonso Cruz. consegue surpreender-nos em cada livro que escreve 😉

Dou 4 estrelas pela ótima leitura!!!

 

Em resumo, como habitual:

 

Vivaldo Bonfim, um pai leitor viciado

No 7º bairro fiscal, trabalhava entediado

Até que um dia, parou de trabalhar

Porque a "leitura o engoliu," até dar que falar.

 

Até dar que falar

Pois por ele alguém o fará

Vivaldo entrega a Elias, a chave para um futuro quiçá

Um belo futuro, numa bela biblioteca

Clássicos também são futuro, de pensamento e aritmética.

 

Pensamento e aritmética, o leitor vai perguntar?

O Foco ou a palavra-chave, baseia-se em questionar

O que nos rodeia, como funciona

Os Bonfim são os most-wanted, das "histórias de poltrona"!

20210107_215303.jpg

 

 

 

 

 

PROVAVELMENTE....

Pedro, 03.01.21
Um ano diferente, para não dizer igual
Com desejos que o próximo seja cheio de saúde, trabalho e realização pessoal
Entrar em 2021? Que seja com os “pés para à frente”
Este ano não será com espumante, nem com aguardente
Será cheio inovação, que à mesa acabou de chegar
Carlsberg de 3 litros, é provavelmente a melhor para brindar!!!!
 
Até poderá não ser a melhor, mas o que interessa é a intenção😜
 
Um feliz ano novo para todos!!!!

Toca o despertador é hora de levantar... | Mimosa

Pedro, 11.10.20

Trata-se apenas de um texto a prepósito de um passatempo.

 

Toca o despertador, é hora de levantar

O quentinho da cama, não quero eu largar

Mas vou largar a cama, como uma criança larga plasticina

De regresso ao trabalho, mas um estrangeiro na palestina.

 

De regresso ao trabalho onde tudo pode acontecer

Não saio de casa, sem os meus iogurtes Mimosa beber

Sem os beber e sem uma fatia de bola levar

Como pelo caminho, é a “minha euforia a balançar”

A balançar, porque planear deixou de ter termo fixo

Mas quando ao trabalho chegar, ao planeamento arranjarei um sufixo.

 

Cheguei ao escritório e já vi que é para valer

O cumprimento das cotoveladas, é o que pode acontecer

O convívio faz-se assim com a devida distância

Para assim não por em causa, as regras de segurança.

 

Chego assim ao fim o dia, com uma perspectiva diferente

Que todos estão bem, mesmo não sendo como antigamente

Muitos hábitos mudaram, mas outros vieram para ficar

Como beber Iogurtes mimosa de manhã e à noite antes de deitar.

20201011_121108.jpg

 

Ler PNL 2027 | Uma nova plataforma orientada para todos as crianças, pais e professores

Pedro, 22.09.20

LerPNL0227.jpg

Hoje foi lançada uma plataforma que considero um bem necessário em todos os sentidos.
EDULOG em conjunto com o PNL2027, lançam hoje, um importante marco com vista a proporcionar a vários intervenientes (professores, país e alunos) informação notória e fundamental para a educação de qualquer criança (desde o nascimento) sem generalizações e ajustado ao ritmo e capacidades cognitivas de cada um. Penso que é isso que distingue a plataforma de um ensino presencial.
Para que cada criança possa desenvolver ao ritmo necessário, tudo à distância de um clique.

A educação é um direito mais que um dever. E todos devem ter o direito de poder saber ler e escrever!!!

Porque o futuro é mais do que algo concreto, é abstracto. De nós bastará entender o que nos rodeia e saber tirar o melhor proveito!!!

Ver mais aqui: https://ler.pnl2027.gov.pt/

Karin Boye, Kallocaína | Leitura Actual

Pedro, 21.09.20

Desafiado pela Sara, do blog, https://desabafosagridoces.blogs.sapo.pt que também adquiriu este livro na Feira do Livro Lisboa, decidi dar rumo à leitura, por caminhos nunca antes navegados.

"Nos dias que correm, a existência de um prepósito e de um método para o que se faz e se diz é cada vez mais implacável, de modo a que nem uma palavra seja deixada ao acaso"

"(...) eu podia sentir-me mais livre, do que em liberdade"

Escrito em 1940, mas muito actual.

E vocês? O que estão a ler?

20200921_192642 (3).jpg

 

Feira do Livro 2020 | Ponto de situação e o desastre para a minha carteira

Pedro, 14.09.20

A Feira do Livro....

A Feira do Livro é uma feira especial
Uma completa mestria de variedade sem igual
Contemporâneo, Policial, História, Economia e Poesia
Como Infantil e juvenil, a completa "Biblioteca de Alexandria".
 
Mas com estas e outras categorias não sei por onde começar
Talvez pela poesia de Pessoa com algumas rimas a enquadrar
A enquadrar as estrofes, enquanto enquadro a fotografia
Mas o certo é que "Quando Fui Outro", lembrei-me de analogia da "A Tabacaria"
 
"Quando Fui Outro"? mas o meu eu não deixei de ser
Procuro um refúgio nos meus livros, pois a literatura é o meu lazer
Um livro é mais do que um uma alegria descomunal
Segundo Afonso Cruz, é uma compliação, uma "Enciclopédia da Estória Universal"
 
Uma história ou estória é como um "cálice de fogo"
Um gato tem sete vidas, mas "As três vidas" é com João Tordo
 
Mas não vamos esquecer o objetivo primordial
Que nós “Os Humanos somos uma natureza peculiar
Peculiar, original, uma ciência sem igual
Amar ou saber amar, é um cateto descomunal.
 
Mas de tantas histórias e autores poderia eu falar
Mas se entrou na Feira do Livro, bastou para comprovar
Que com tanta variedade e desconto com fartura
Qualquer "reprodução" de uma obra, é uma peça de literatura.

 

Não vale a pena falar deste ano, que infelizmente ainda não acabou.

O assunto seria o mesmo que tem vindo a inundar blogs, impressa e redes sociais.

O certo é que, que quando pensei na feira do livro, pensei em como iam controlar a entrada de pessoas, como iam fazer a gestão dos espaços, como iam controlar todo o contacto etc.

Eventos ao ar livre englobam um grande aglomerado de pessoas e mesmo o nosso pais,  um pais ainda com literacia baixa a verdade é que,tal como noutros eventos a feira do livro, realmente enche.

Por isso, decidi optar pela Hora H, indo apenas dois dias (uma na primeira semana e por fim, outro na 2ª semana para poder aproveitar e comprar os livros que queria).

Já tinha uma lista feita,o que parecendo que não facilita imenso a gestão do tempo vs stands vs procurar qual o stand daquela editora. Sem esta gestão, saia de mãos a abanar.

Mas sinceramente vim carregado até mais não. Ninguem perdoa

Efectivamente havia preços muito bons.

Como tinha dito aqui no blog, na Porto Editora,vi um livro de Ali Smith, que é um stand alone por 3,75€ (uma pechincha) e "Reprodução" de Bernardo Carvalho pelo mesmo valor, os livros de Fernando Pessoa por 5€ e John Steinbeck por 4€.

20200914_191954.jpg

Chegada à banca da Alfagurara, grupo da Penguim Random house, nota-se claramente uma diferença na procura. 

Lá comprei "Quando Fui Outro" de Fernando Pessoa por 7€.

João Tordo nunca li,mas quis trazer.Gostaria  de perceber o quão diferente ou semelhante é comparado com Afonso Cruz.

Mesma na Hora H, a procura pelos livros da editora é impressionante o que demonstra que, para além da Relógio de Água e das editoras grandes, o bom catálogo que a mesma possui.

Semelhante acontecimento passava-se na Antígona. Aliás no 1º dia que fui desisti de me colocar na fila da banca da antígona.

Sei que me perdi um pouco na Feira do Livro, mas no final não estou arrependido.

Achei os preços bons, até porque vi muitos livros no espaço do Grupo Porto Editora , neste ano a terem etiqueta laranja (na hora H têm 50% desconto se segunda a quinta, entre as 21h e as 22h) que comparado com o ano passado não possuíam.

20200914_192432.jpg

E vocês o que adquiriram na Feira?

 
 

“Read a book without thinking about finishing it. Just read it. Enjoy every word, sentence, and paragraph. Don't wish for it to end, or for it to never end.”

Matt Haig, Reasons to Stay Alive

Charles Bukowski, Música para Água Ardente | Opinião

Pedro, 13.09.20

Terminei de ler este livro ontem e confesso que não é a minha praia.

É uma compilação de histórias ou contos se preferir, que engloba dezenas de personagens diferentes  que me deixou completamente perdido.

Os contos não fazem muito o meu género,pois prefiro sempre livros que contam uma única história. Mas, como tudo na vida, nada é linear.

Comum a outros livros é a narração de Chinaski, dos seus ideais ou falta deles, da falta do seu propósito e das suas atitudes irracionais estando em linha com a história de outros livros. Existe um acontecimento particular no livro, que entra em linha com Chinaski vivenciou durante a sua infância e respectiva relação que tinha com os seus pais.

Tal como disse, não tenho muito a acrescentar. Este livro, não me cativou tanto como "Mulheres" ou "Fatotum". Senti-me na obrigação de o continuar a ler até ao fim, apenas pelo histórias de Chinaski.

Ainda sim pela criatividade e constante criação de diferentes cenários perante as várias histórias, é algo difícil de desenvolver e criar.

Posto sito, dou ao livro 3 estrelas.

E vocês? Já o leram? Que acharam?

20200831_202147 (4).jpg